Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2017

Padrões

Os anos passam, tudo mudou, os ciclos se renovaram e eu continuo buscando a maneira adequada de traduzir a experiência. Antes, eu acreditava que dominava os métodos de registro e tradução, mas que me faltava a experiência; agora, sinto que estou acumulando a experiência, mas me falham os métodos de registro e tradução. É lógico que eu sou uma mulher diferente do que fui 10, 5, 2 anos atrás, mas as dificuldades permanecem as mesmas. Os padrões se repetem. Será que padrões são sistemas que realmente precisamos desconstruir, ou seguirão conosco não importa o que façamos? Será que alguns padrões devemos manter porque são eles que fazem de nós o que realmente somos, ou será que não existe algo que realmente somos, e podemos nos modelar e remodelar conforme os anos vão passando?
Um momento atípico da minha vida é aquele em que escuto Exagerado, do Cazuza, e não tenho a menor vontade de dedicá-la a ninguém, porque definitivamente não há ninguém neste momento por quem eu largaria tudo. A vontade de ser exagerada e me jogar aos pés de alguém, neste momento, é zero. Não quero um amor inventado. Quero cuidar de mim, ser minha melhor amiga, e se for para ser exagerada, fazê-lo por mim mesma. Não há ninguém neste momento por quem valha a pena me entregar tanto. Sei que é passageiro, não é da minha natureza ser tão ponderada e racional quando se trata de paixão, mas é importante registrar que estou sentindo isso neste momento.