Avançar para o conteúdo principal

Aqui,

neste apartamento grande e silencioso, chega a música do apartamento ao lado (ou de baixo), uma música brega, que me causa a mesma sensação de quando eu trabalhava no sobrado e ouvia os sons da rotina enquanto eu estava lá, onde nada estava acontecendo. Sempre me incomodou estar parada lá, onde nada está acontecendo, desde que eu era criança e ficava na sala da minha avó brincando sozinha ou vendo TV e passava o caminhão de gás com sua música fúnebre. Deve ser por isso que a música do caminhão do gás me machuca tanto: porque ela torna ainda mais enfadonho o momento em que estou sozinha e em silêncio no lugar onde nada está acontecendo e sabendo que do lado de fora tudo está acontecendo. Embora eu esteja no momento de vida em que tudo pode acontecer, ainda são inquietantes os momentos em que estou, por exemplo, sentada trabalhando e algo do exterior me lembra de que a vida está acontecendo lá fora. Não sei o que mais eu gostaria de estar fazendo em uma segunda-feira de manhã e não entendo por que é tão incômoda essa sensação, e não é uma sensação relacionada à solidão, ao estar só neste momento, porque eu já a sentia antes, quando não estava sozinha. 

O que eu faço para que essa sensação não se intensifique? Este é o momento em que preciso agir para não deixar que esse mal-estar se espalhe. Botar fone de ouvido e ouvir minhas músicas?