20 de fevereiro de 2014

Nietzsche

Minha relação com Nietzsche é recente e dúbia. Já não é tanto uma questão de concordar ou discordar, como eu provavelmente faria se fosse antes, mas sim de selecionar em sua obra o que me interessa ou não para, assim, compor o meu fluido e em constante transformação universo de ideias e perspectivas – algo como “afinidades eletivas”. Sua leitura é, como bem pontuam alguns, dura: é preciso não só ter um repertório razoável em diversas áreas do conhecimento como ainda teimar e golpear cada enunciado a fim de quebrar os bloqueios que nos separam de uma compreensão mínima.

19 de fevereiro de 2014

Influência europeia no Brasil dos séculos XIX e XX

A reflexão proposta por Roberto Schwarz em “As ideias fora do lugar” foca-se especialmente no antagonismo observado entre a sociedade brasileira escravista e agrária do século XIX e a ideologia mais valorizada da época: o liberalismo europeu. O Brasil, recém-emancipado, era ainda um país dividido em latifúndios que dependiam essencialmente do trabalho escravo e do mercado externo. Suas instituições, ainda que proclamassem as teorias do estado burguês moderno, eram regidas pelo clientelismo e as relações de favor. Assim, convém concordar que “no Brasil as ideias estavam fora de centro, em relação ao seu uso europeu”. (SCHWARZ, 2008)

7 de fevereiro de 2014

Raduan Nassar

Raduan Nassar,
escritor brasileiro
Um copo de cólera

" (...) sem contar que ela, de olho no sangue do termômetro, se metera a regular também o mercúrio da racionalidade, sem suspeitar que minha razão naquele momento trabalhava a todo vapor, suspeitando menos ainda que a razão jamais é fria e sem paixão, só pensando o contrário quem não alcança na reflexão o miolo propulsor, pra ver isso é preciso realmente ser penetrante, não que ela não fosse inteligente, sem dúvida que era, mas não o bastante, só o suficiente, e eu poderia atrevido largar às soltas o raciocínio, espremendo até o bagaço o grão do seu sarcasmo, mas eu não falei nada, não disse um isto, tranquei minha palavra, ela não teve o bastante, só o suficiente, eu pensava, (...) "