Avançar para o conteúdo principal

Vertigem

Precisava de um café.

Eu tinha subido tão alto nas últimas horas que de repente deu vertigem. Apesar que de lá de cima se vê bem, de maneira ampla, o que tem lá embaixo. Lá de cima as coisas se conectam umas com as outras e a sensação de compreensão é, de algum modo, libertadora. Você fica lá voando e vendo tudo, achando que tá entendendo tudo.

Mas ficar tempo demais chega uma hora que o ar acaba, bate um cansaço, dá vontade de descer. A gente até se pergunta por que diabos procura uma sensação libertadora?, a gente se questiona o que é liberdade?, compreensão às vezes é prisão também, é exaustivo, caramba!, não sei como você aguenta.

E café me lembra terra.
E é para lá que tenho que ir. Afinal eu sou de lá. 
Algo relacionado ao material, ao físico, ao que se quer crer lógico.

Talvez minha busca, hoje, seja pela harmonia, a conciliação entre o campo dos sentidos e das ideias. O famigerado caminho do meio. O equilíbrio.

Aos quinze anos, ainda sem saber por quê, eu já sabia que essa coisinha tinha importância, o equilíbrio. Mais tarde eu lhe atribuiria alguns sentidos.

Me falaram de Yin-yang um dia desses. Acho que eu deveria estudar o conceito.