Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2010

Termo e meio

A tarde transita
entre o sol da manhã
e os becos da noite

Ecos embaralhados
de um grito quente
e um sussurro frio:

Da penumbra da alma
da claridade dos olhos
e do breu do coração


Capa - Menino sem Nome

" Deitei em minha cama, sentindo a maciez do colchão, amarrotando os lençóis, esticando meus braços para o alto como se tentasse tocar o teto. Cerrei os olhos sem apertá-los, respirei demoradamente, toquei a campainha da minha alma. Ela me fez esperar algum tempo. Existir, de repente, me pareceu uma mentira. Eu não estava ali. Era tudo imaginação. Não sentia meu corpo, não podia mais mover meus braços, nem abrir os olhos. Era uma miragem. Eu me enxergava de cima, podia ver meu corpo estirado na cama, e meu espectro sentia pena daquela carne que pensava ser verdadeira. A sensação durou pouco. Eu quis tornar a senti-la, quis sair do meu corpo outra vez, ver-me de outro ângulo, mas era impossível retornar ao estado anterior. Por uma vez até duvidei que tivesse acontecido. Sentei-me, fitando o guarda-roupa fechado. Fechado. Minha alma havia se fechado outra vez.
Mas, afinal, o que aconteceria se eu a tivesse excedido? "
(Menino sem Nome - Aline Veingartner) ®

Está chegando!

Poema feito com pressa

Sem tempo, sem tempo, rabisco
Sem fome, sem fome, petisco
Se tenho coragem arrisco
E o verso atrasado:
Um risco


Um sonho

Quem já realizou um grande sonho sabe o quanto ficamos eufóricos quando aquilo que desejamos desde pequeninos está prestes a acontecer! Tenho pensado muito no que me aconteceu nos últimos meses e me sinto particularmente afortunada. Vou conseguir lançar o meu próprio livro antes de completar 20 anos! É mais do que meu coraçãozinho pode aguentar :)


Data: 14 agosto de 2010 - sábado - Itaú Cultural - a partir das 19hs
Coquetel de pré-lançamento da Antologia Delicatta (da qual participo publicando dois poemas), premiação, autógrafos e sarau. O Instituto é um centro de referência cultural, há mais de 20 anos promovendo e divulgando a produção artístico-intelectual brasileira.
Entrada franca.
Endereço: Av. Paulista, 134 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01310-000
Como chegar



Data: 15 agosto de 2010 - domingo - 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo - a partir das 18h30hs

Lançamento da Antologia Delicatta no estande da editora Scortecci
Entrada: R$ 10 (inteira), R$ 5 (estudante)
Endereço: …

Análise do Poema: Soneto do Amor Maior - Vinicius de Moraes

* Caso você esteja usando esta análise para o seu trabalho, peço que, por favor, faça a devida referência.

Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu, que não sossega a coisa amada
E quando a sente alegre, fica triste
E se a vê descontente, dá risada.

E que só fica em paz se lhe resiste
O amado coração, e que se agrada
Mais da eterna aventura em que persiste
Que de uma vida mal-aventurada.

Louco amor meu, que quando toca, fere
E quando fere vibra, mas prefere
Ferir a fenecer – e vive a esmo

Fiel à sua lei de cada instante
Desassombrado, doido, delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo

Trechos de Histórias Extraordinárias - Edgar Allan Poe

A queda da casa de Usher
"Eu sentia que respirava uma atmosfera de tristeza. Um ar de severa, profunda e irremissível melancolia pairava sobre tudo, envolvia tudo."

"E assim, à medida que uma intimidade cada vez maior me permitia penetrar, sem certas reservas, no recesso de seu espírito, mais amargamente percebia a inutilidade de qualquer tentativa no sentido de alegrar um espírito cujo negrume, como se fosse uma qualidade positiva e inerente, se esparzia por todos os objetos do mundo físico e moral, numa irradiação incessante de tristeza."
O barril de Amontillado
"- Vamos - disse-lhe com decisão. - Vamos voltar. Sua saúde é preciosa. Você é rico, respeitado, admirado, amado; você é feliz, como eu também o era. Você é um homem cuja falta será sentida. Quanto a mim, não importa. Vamos embora. Você ficará doente, e não quero arcar com essa responsabilidade. Além disso, posso procurar Luchesi..."
O gato preto
"Há algo, no amor desinteressado, e cap…